Browsing Tag

música

conversas, música

Uma música e uma nostalgia

Poderia ser apenas mais uma manhã de terça-feira, iniciando mais um dia de trabalho. Coloco os fones de ouvido e busco canções que me façam focar (estou tendo muita dificuldade no momento de mirar nos afazeres e não me deixar levar por apenas mais um capítulo daquele livro que não consigo parar de ler). Escolho Interpol. Toca Obstacle 1.

It’s different now that I’m poor and aging
I’ll never see this place again
You go stabbing yourself in the neck

Imediatamente sinto aquele arrepio na nuca, a sensação de que as coisas estão passando rápido demais. Uma nostalgia invade o escritório de trabalho, volto no tempo uns 9 anos, quando trabalhava no Colorado e Interpol me fazia companhia nas temperaturas gélidas do inverno norte-americano. Turn On The Bright Lights tocava exaustivamente no meu CD player e, posteriormente, no meu primeiro iPod (um daqueles com capacidade para armazenar duzentos e cinquenta e nove mil músicas). Conheci Interpol assistindo The O.C. e, depois disso, um crush também super ouvia… Transformei Interpol na minha trilha dos dias onde a solidão e melancolia tomavam de assalto a minha alma.

Ano retrasado estive no Lollapalooza e, finalmente, assisti a um show deles. O dia ainda estava claro e chovia. Claro, tinha que chover. Interpol não combina com dias ensolarados e quentes. E foi tão lindo.

She puts the, she puts the weights into my little heart
And she gets in my room and she takes it apart, oh
She puts the weights into my little heart
I said she puts the weights into my little heart

A voz de Paul Banks me relembrou dois momentos tão distintos. Há 9 anos, me sentia incompleta e triste; recentemente, me senti em paz por ter a certeza de que aquela Raquel de antigamente sobreviveu e está caminhando tão bravamente em busca de sua paz de espírito.

Facebook // Instagram // Twitter // Pinterest // snapchat: hackelz

música

“Caracal”: o novo álbum do Disclosure

Uma coisa é certa: a dupla Disclosure sabe muito bem o que faz. A divulgação do segundo álbum “Caracal”, que tem data de lançamento prevista para 25/09, está a todo vapor. Os caras soltaram o clipe do segundo single “Jaded” que é uma espécie de continuação do clipe de “Omen” (com participação do muso Sam Smith).

Pelo que já ouvimos, teremos um álbum tão bom quanto o incrível “Settle”. Se você não sabe do que eu tô falando, conto um pouco: Disclosure é um duo inglês formado pelos irmãos Lawrence, produtores musicais que fazem um deep house finíssimo, com uma pegada forte de dance música dos anos 90. Tenho certeza que já ouviste o hit Latch, que tem os vocais de Sam Smith e que tocou em praticamente todos os vídeos de blogueiras de moda desse Brasil (HAHAHAHAH). Brincadeiras à parte, os caras fazem um trabalho tão incrível que colecionaram ótimos reviews e elogios da crítica especializada nos últimos meses.

Desde que assisti ao clipe recém-lançado, peguei vício e já coloquei até a música na minha playlist de corrida. A canção tem um dos meninos Lawrence cantando e ele não decepciona, viu? Só clicar no player abaixo pra assistir:

E essa é a capa do álbum, que tem esse nome desde que o menino Guy se apaixonou pelo animal, durante uma turnê: “Eu adoro o jeito como esses animais olham, suas capacidades físicas e seu anonimato. Percebi que tinha a ver com a nossa vida também selvagem.”

Caracal, o novo álbum do Disclosure

Para ouvir um pouco das faixas, que conta com participações super especiais, é só clicar no vídeo abaixo (abrindo o vídeo no YouTube, passe o mouse nas carinhas pra ouvir as faixas):

Facebook Instagram Twitter Pinterest snapchat: hackelz

música

Brandon Flowers Live at Absolute Radio

Tio Brandon lançou seu último álbum solo há alguns meses porém os fãs continuam dando pulinhos de alegria toda vez que sai algum material diferente do homi de Deus. Outro dia, a Vic jogou esse link lá no grupo The Killers Brasil e é lógico que o povo surtou. Brandinho ao vivo cantarolando os sucessos de The Desired Effect, com canja de The Killers? OH YES! Rolou ‘Crossfire’, ‘Can’t Deny My Love’, ‘Lonely Town’ e ‘Read My Mind’.

A apresentação rolou na Asbolute Radio em 15 de maio. Alguns sortudos tiveram a chance de assistir o pocket show (teve sorteio e tudo). Bom, pra gente só restou assistir online mesmo. Corre logo e clica no player abaixo, pessoa:

assista Brandon Flowers Live at Absolute Radio

curta o blog no Facebook siga no Instagram acompanhe os tweets snapchat: hackelz

música

Last.fm: novo visual e melhorias na plataforma

Já ouviram falar no Last.fm? Há alguns anos possuo cadastro por lá e sempre adorei a plataforma pois pra quem gosta de música é sempre bacana reunir os dados do que você ouve, com estatísticas e tudo mais. A mecânica é bem simples: você conecta um plugin ao seu player de músicas e ele vai guardando (scrobbling) as infos em um cadastro. Feito isso, você consegue saber quais foram as mais ouvidas nos últimos 7 dias, nos últimos 30 dias, nos últimos 90 dias, no último ano e em todos os tempos.

Tô por lá tem bem uns 9 anos e que interessante é ver as bandas/artistas mais ouvidas desde então.

Novidades no Last.fm. Mais em http://raquelarellano.com.br/blog.

O site está de cara nova, com um visual bem mais moderno e organizado. Vale a pena experimentar se você curte desbravar essas estatísticas do que anda escutando. “Poxa Raquel, outra rede social?”. Você nem precisa interagir com ninguém, embora seja muito legal também fazer amizade e ver o que seus amigos estão curtindo em termos musicais. Eu mesma já descobri muita coisa nova desse jeito.

Achei bem bacana a área “Live“, onde os usuários podem acompanhar o que está bombando em termos de scrobbling na plataforma. Quais são os artistas trending, o que tá sendo mais ouvido… Bem fodão!

Novidades no Last.fm. Mais em http://raquelarellano.com.br/blog.

Pra quem quiser me seguir por lá, é só clicar aqui.

curta o blog no Facebook siga no Instagram acompanhe os tweets snapchat: hackelz

Maionese no BEDA

música

No iPod: Tove Lo – Timebomb

A primeira vez que ouvi Tove Lo, nome artístico da cantora, compositora e instrumentista sueca Ebba Tove, foi na academia. Pode rir mas foi lá. Tava na esteira, correndo, panz, daí toca a famosa Habits (Stay High) e rapidamente saco meu celular e mando ver no Shazam. Aliás, todas as versões existentes pra essa música são incríveis. TODAS.

A bichinha manda muito! Além de cantar, ser linda, ruiva, ela já mandou ver na autoria de canções pra gente como Icona Pop, The Saturdays e também divide a autoria da canção “Love Me Like You Do”, junto com Ellie Goulding. Lembram que essa música tocou até dizer chega quando saiu “50 Tons de Cinza”? PS: ela é super migs das meninas do Icona Pop, by the way.

Bom, queria compartilhar com vocês uma música que não sai do meu iPod/Spotify.

assista Tove Lo – Timebomb
Seu primeiro álbum, “Queen of clouds”, é maravilhoso do começo ao fim. O mais legal é que Tove Lo vem ao Brasil esse ano e parece que vai ter show… EU QUERO! \o/

acompanhe o maionese por aí:

curta o blog no Facebook siga no Instagram acompanhe os tweets snapchat: hackelz

Maionese no BEDA

conversas

Um acorde e uma nostalgia

imagem do topo daqui

Algumas canções tem o poder de me teletransportar para fases bem datadas da vida. Ontem, ao fazer uma limpa nos meus arquivos do computador, cruzei com alguns álbuns em mp3 e um deles era o do Oasis. Coloquei pra ouvir, até que tocou a lendária “Wonderwall”.

Independente de ser uma música batida, tendo tocado exaustivamente nas rádios na época, ou mesmo de ser uma música boa/ruim da banda, essa foi uma das primeiras canções que ouvimos do tal grupo de ingleses que muita gente apontava como “os novos Beatles mau humorados”. Naquele tempo, a gente não tinha Facebook, nem internet pra ficar pesquisando sobre bandas, as informações chegavam por revistas e pela MTV. “Wonderwall” colocou o Oasis na minha vida, em uma adolescência recheada de compromissos com o curso de inglês e a escola. Essa música toca e eu consigo ver a Raquel com seus 13, 14 anos, meio que querendo se definir pelas coisas que ouvia, muito mais do que pelas coisas que vestia. Aliás, acho que nunca fui uma pessoa muito fashionista, principalmente quando era pirralha.

Oasis me lembra como meu microsystem do quarto era tão importante e companheiro. Além do discman, que obviamente tinha pilhas recarregáveis. Oasis coloca a Raquel de 33 anos olhando pra Raquel moleca e chega a ser curioso esse “confronto”. Acho que eu gostaria de ter sido minha amiga naquela época, pelo menos bom gosto musical eu tinha (pelo menos, já que para namorados o dedo era podríssimo).

PS 1: (What’s the Story) Morning Glory? faz 20 anos em outubro.

PS 2: tô velha.

curta o blog no Facebook siga no Instagram acompanhe os tweets snapchat: hackelz

Maionese no BEDA