Browsing Tag

BEDA

amor, www

Celebrando os 7 anos do Gordelícias

Durante muito tempo, eu me senti meio bobona por me intitular “blogueira”. O peso negativo que essa palavra tem, minha gente. Bom, vocês que me leem por aqui e que também cultivam seus respectivos blogs com tanto carinho e amor, vão entender. Mas tem gente que nunca, nunquinha, vai captar a importância disso aqui. Faz tempo que eu tô nessa freguesia. E em pelo menos metade desse tempo, escrevo o Gordelícias. No último sábado, fiz uma celebraçãozinha pra gente festejar os 7 anos de bloguinho.

Aquela história: mais do que um encontrinho, era uma maneira de festejar um trabalho (que é diário, que exige dedicação e que muitas vezes não nos paga como a gente deveria receber). Mas olha, eu vou confessar uma coisa também: o tanto de vezes que já pensei em desistir é infinitamente menor à disposição que eu tenho de continuar. Porque produzir um site com conteúdo gastronômico dá um trabalho danado. A gente precisa planejar um cronograma, comprar os ingredientes, preparar a receita em si, fotografar, escrever o post. Se eu somar a quantidade de horas que invisto numa simples receita, vocês nem acreditariam.

Porém, a gente continua. Muitas vezes, remando contra a maré. Seja no YouTube ou nos blogs, redes sociais da vida, só gostando muito do que a gente faz pra continuar.

E foi por isso que fiz a festinha. Foi por isso que teve bolo. E teve até parabéns (eu queria me esconder de tanta vergonha, mas eles puxaram o parabéns mesmo assim).

A comemoração rolou no Artesanal e Tal, quiosque delícia de hambúrgueres aqui na Ilha

O bolo (que vocês já viram no topo do post)

Euzinha, com carinha de pastelzinho

Paola, minha amiga e uma das donas do Artesanal e Tal

Parte da galera que apareceu por lá pra comer e beber 

Essa semana ainda vai rolar vídeo com o resumo da festa, que bom bem lindinha. Em breve, coloco o link aqui também! <3

www

Perguntas & respostas pra gente se conhecer melhor

No meu 2º dia de BEDA, aproveito pra responder perguntinhas estilo ~caderno de perguntas. Tinha pensado em escrever sobre outra coisa mas tá tudo bem, haverá outras oportunidades pra discorrer sobre assuntos acumulados aqui no blog – afinal, o mês tá apenas começando.

A menina Salateando (<3) foi a inspiração pra TAG de hoje, onde responderei 13 perguntas sobre Euzinha e meu cotidiano. Caso você se anime em fazer também, é só avisar aqui nos comentários que eu vou lá dar uma olhadinha também nas suas respostas! 🙂

◆ ◆ ◆

1. O que costuma pedir no Starbucks?
– Caramelo Macchiato.
2. Qual item do teu armário não consegue viver sem?
– Atualmente, vestido preto ou calça bem justa de cintura alta, com botinha ou tênis.
3. Diga uma coisa que as pessoas provavelmente não sabem sobre ti.
– Muita gente acha que eu sou cozinheira por trabalhar com produção de conteúdo gastronômico. Mas boa parte nem sabe que, além de historiadora, eu também sou formada em Marketing e trabalho nessa área.
4. Diga uma coisa que tu quer fazer antes de morrer.
– Viajar pra Islândia.
5. Qual comida que tu não consegue viver sem?
– Batata.
6. Qual a frase que rege a tua vida?
Abrace o caos.
 7. O que tu gosta e não gosta sobre o YouTube?
– Dependendo do navegador, ele abre todo zoado. Bom, esse seria um problema do YouTube? Agora não sei.
8. Qual a música que mais ouve?
– Atualmente, não há um diazinho sequer sem que eu escute Tame Impala – The Less I Know The Better.
9. Como definiria o teu estilo?
– Ali, transitando entre o estilo confortável e despojado (com umas pitadas de ~diferentão).
10. Número favorito:
– 8.
11. Dois hobbies:
– Cozinhar (por isso usei uma foto de comidinha aqui no cabeçalho do post) e escrever.
12. Duas coisas que te irritam:
– Barulho de mastigação + fofoca.
13. Um prazer culposo…
– Passar mais tempo assistindo séries do que deveria (rs).
◆ ◆ ◆

www

Sobre um retorno & um BEDA em 2017

A gente muda a todo momento. Nesse meio tempo em que mantive longe daqui, um cantinho que cultivei durante anos com muito carinho, tanta coisa aconteceu. Certas mudanças são sutis e mesmo que a gente não perceba, acontecem. Outras são mais bruscas e brutas, marcantes. A vida hoje é bem diferente do dia em que escrevi aqui pela última vez. Não vou dizer que é mais feliz ou triste, já que esse papo de felicidade é tão complexo (e renderia muitos outros posts nesse blog). Mas uma coisa eu sei:

Hoje eu sou mais dona de mim.

Hoje eu sou mais plena, sim.

Eu queria voltar a escrever aqui, porque certas coisas a gente precisa colocar no “papel”. Desde que me entendo por gente eu escrevo pra web, foi por meio de blogs que fiz tantos amigos (muitos mesmo). É como se eu quisesse, de alguma forma, me reconectar com cada pessoinha que me acompanha por meio da rede mundial de computadores. É como se eu quisesse dar mais voz aos textos inacabados do Facebook ou ir além dos Stories. Aqui a gente tem a liberdade pra falar mais do que 140 caracteres. E, quem nos lê, pode simplesmente interromper a leitura e seguir com outro afazer, se assim desejar.

Nada mais bacana que um retorno desafiador: discorrer sobre 31 assuntos diferentes, diariamente. Aceitei, assim, participar do BEDA 2017 (sigla pra Blog Every Day August). Assunto não faltará, tempo, talvez. Mas vai rolar, com prazer.

Espero conhecer mais pessoas nesse mês de agosto. Espero que mais gente me conheça um tico também. Espero dar muita risada, apoiar, ser apoiada, criar e inspirar.

Estou de volta! Ah, aproveita pra clicar no banner abaixo e conhecer um grupo super querido do Facebook (as administradoras nem sabem mas eu voltei com esse blog por causa de alguns posts que vi lá).

(na imagem de capa do post coloquei uma foto que tirei do domingo, do céu lindo do meu bairro, a Ilha do Governador)

conversas, www

Sobre o BEDA e outras coisinhas

(imagem do topo: daqui)

Nessa primeira semana de BEDA fiquei apenas 1 dia sem postar. Tava indo super bem porém fiquei agarrada na edição de um vídeo pro Gordelícias, veio Dia dos Pais, corrida, dormi horrores depois de correr meus primeiros 8km… enfim, não conseguiu me organizar tão bem pra deixar a semana redondinha. Ainda assim, estou curtindo muito fazer parte desse projeto. Conto pra vocês por quê.

Oportunidade de exercitar a escrita e a criatividade

Quantas vezes a gente acha que as ideias acabaram e que você não tem mais nada de útil pra colocar no papel? Daí, diante de um desafio como o BEDA, nota que há uma infinidade de coisas para se falar sobre. E que essas coisas podem surgir de um simples comentário no blog (uma dúvida ou sugestão deixados por alguém que leu seu post) ou mesmo desmembrando um assunto inicial em tantos outros. Quando vê, já tem pauta pra mais de um mês.

Organização de ideias

Tenho usado o Evernote para colocar as ideias no papel. Além do cronograma mensal que está impresso e rabiscado aqui na mesa, organizo nesse aplicativo as ideias que estão soltas em papeizinhos e também na minha cabeça. É bom quando a gente tudo “na mesa” e consegue remanejar os assuntos, pra não ficar repetitivo e, ao mesmo tempo, distribuindo bem o conteúdo pelo blog.

Pausa diária para fazer o que gosto

Sabe quando a gente diz que não tem tempo pra fazer certas coisas? Separo 1h do meu dia para produzir aqui no Maionese. Seja organizando o conteúdo, rascunhando novos posts ou ilustrando (coletando imagens, pesquisando…). Estou aproveitando o BEDA para me conectar ainda mais ao blog pois é uma forma de dar chance em meio à correria para pequenos prazeres (blogar é um deles).

Conhecer novos blogs

Os participantes do BEDA tem acesso a uma planilha onde todos os bloggers compartilham por dia seus posts. Tem sido uma delícia acompanhar alguns deles, infelizmente eu não consigo ler todos pois preciso focar em outros compromissos, porém tem sido uma delícia ~descobrir~ tanta gente bacana e competente. Esse tópico me leva ao próximo.

Perceber que ainda há gente que “bloga” por amor

Além de estar descobrindo novos blogs, tô tendo a oportunidade de concluir que sim, ainda existe uma boa quantidade de pessoas que escreve por amor. A vibe “blogger moleque” que a gente sempre comenta, sabe? Sem medo de soar jovenzinho demais, importando-se pouco com pautas ou obrigações com linhas editoriais, marcas… Escreve-se sobre filmes, livros, cotidiano. Escreve-se sobre pequenas coisas, rotinas, bonitezas. E tá sendo lindo acompanhar essa leveza na escrita.

.A

Estou encarando esse desafio da melhor maneira possível, sem me obrigar a nada. Compartilho o que curto, no meu tempo. Deu pra subir post todo dia? GREAT! Vai dar ruim e deixarei buraco algum dia? Paciência! O que vale mesmo é esse aprendizado que a gente tá tirando!

acompanhe o maionese por aí:

curta o blog no Facebook siga no Instagram acompanhe os tweets snapchat: hackelz

Maionese no BEDA

variedades

TAG: 5 coisas que me deixam mais feliz

A maravilhosa Ba Moretti, figura tão querida na blogosfera brazuca, compartilhou essa tag outro dia e achei que tinha tudo a ver comigo e com o blog. Na onda de fazer posts mais pessoais, que contem mais sobre quem a gente é, pensei que seria uma boa ideia falar sobre coisas que me deixam mais feliz. É simples, é direto e é uma forma de sermos mais gratos com o universo ao nosso redor.

Quem eu indico pra responder essa tag? Quem estiver com vontadinha de falar mais sobre si! #sejoga

1. ouvir uma música que amo em lugares inusitados

Já aconteceu de estar fazendo compras, na seção de legumes, e de repente toca alguma música que amo muito. Não sei vocês mas eu começo a cantar, mesmo que seja baixinho. Aliás, já perceberam como os supermercados estão investindo em rádios e playlists? Certeza que há um estudo por trás disso, nada é por acaso!

2. banho gelado depois de suar horrores correndo

Eu diria que essa é uma das melhores sensações do mundo. Você tá morto, suado, acabando, sem dignidade. O cabelo chega a estar pingando, transpiração excessiva. Melhor coisa? Tomar água, sim… porém o banho é uma benção. Nessas horas sempre agradeço por ainda termos água e também canonizo mentalmente a pessoa que “lá atrás” se ligou que água doce limpa tudo.

banho-gif

3. notar que o garçom está trazendo comida e sim, é pra sua mesa

Geralmente, cometo o erro de sair pra comer alguma coisa já morrendo de fome. PIOR SENSAÇÃO DO MUNDO. Você já tá devorando os cantos dos dedos, senta em uma cadeira confortável, aquele cheiro da cozinha invade suas narinas e nada pior do que ver o povo ao redor recebendo os pedidos e você não. Mas há algo de mágico nesse universo: perceber que o garçom, que geralmente traz bandejas que nunca são pra você, dessa vez, traz a sua comidinha. Quentinha, de forma rápida e incrível. Deus é bom, viu?

E aqui, vou inserir mais uma felicidade, porque comida faz isso com a gente:

PLUS: pedir uma comida e ela ser incrível de boa

Um dos filmes que mais amo é Ratatouille. Sempre choro, sempre me identifico, enfim, judge me. E uma das cenas mais lindas é quando o crítico vai provar o ratatouille feito pelo ratinho e o sabor o remete imediatamente à infância, com recordações da mãe. A cena é tão linda que só de descrevê-la meus olhos se enchem de lágrimas. A comida tem esse poder de provocar sensações de satisfação, nostalgia e alegria extrema.

4. ganhar presente de alguém querido e ser exatamente aquilo que você estava querendo

Adoro quando as pessoas se preocupam em dar algo que você tava querendo. Ou não necessariamente ~querendo~ mas algo que tenha a ver contigo. Fico que nem aquele garoto que ganha um Nintendo 64, sabem?

5. fazer algo inusitado no meio do dia, contrariando rotinas

Tem dias em que acordo super cedo, dou um gás nas tarefas de trabalho daí no meio da tarde já finalizei o expediente. Me largo no sofá e leio um livro. Certos prazeres são impagáveis e deliciosos. Antigamente me sentia “culpada” porque né, todo mundo tá trabalhando no escritório e eu lendo. Mas é tudo uma questão de ponto de vista. Tá feito? Tá entregue? Então estamos de boa.

acompanhe o maionese por aí:

curta o blog no Facebook siga no Instagram acompanhe os tweets snapchat: hackelz

Maionese no BEDA

coisas que amei

Coisas que amei: organização, comidinhas e bonitezas

Tá no ar a minha coluna preferida desse blog. Adoro quando tenho um tempinho para fazer aquela coletânea de coisas legais que vi por aí. Nessa semana, tem dica de organização (que certamente vai virar um post maior), comidinhas e inspiração pra decorar a casa!

✔ para ver outros posts que já saíram no Coisas Que Amei, é só clicar aqui 

– A Camis compartilhou esse link outro dia e achei tão maravilhoso! O projeto consiste em publicar 100 tipos de saladinhas que não levam alface. As receitas são super criativas, não levam proteína animal e servem de inspiração pro dia em que queremos comer algo mais levinho porém sem muita ideia do que fazer.

– A Renata Kovalczyk começou a praticar hand lettering no ano passado e andava meio cabisbaixa achando que seus trabalhos não eram assim tão legais (ahhh capricornianos). Daí que esse ano ela colocou na roda um projeto lindo chamado #100lovesongs, que consiste em ilustrar o quote de uma canção bem cheia de amor. Tá TÃO bonito que eu queria todos eles na minha parede.

– Sou fã declarada da lojinha Na Casa da Joana. Não é só porque tenho parceria com eles, diga-se de passagem eles arrasaram nos pôsteres do Gordelícias. É porque os caras mandam bem em tudo: o cuidado com o e-commerce, com a comunicação nas redes, com o produto final. Agora, além dos pôsteres, é possível comprar adesivos decorativos pra dar um up naquela parede meio mortinha da casa. Achei tão incrível!

– Sei que o inverno passou direto aqui no Rio, pelo menos até o momento. Mas a gente sempre arruma uma desculpa pra comprar roupinhas novas, né? Desde que vi os moletons da FARM, peguei amor num grau… O de gato não sai da minha cabeça. Okay, eu prometi que ia me segurar na onda de consumo desnecessário. Mas eu preciso desse moletom, sabe? Poxa vida! PS: acabei de ver que esse modelo do gato tá esgotado, obrigada Deus!

– Já tinha cruzado com esse livro na Saraiva e primeiramente a capa me chamou atenção, porque é linda. Depois, folheei um pouco e vi que se tratava de um livro sobre organização. O assunto tem sido bastante discutido em vários fóruns de discussão e blogs, não é a toa: a vida de hoje pede que a gente agilize cada vez mais certos processos e por isso é tão importante melhorar algumas “caixinhas”. Papeis, roupas, tempo. Fiquei ainda mais interessada no livro depois de ver esse post da Gabi. Alguém já leu?

– Troquei de celular, mais uma vez. Adoro esses “resets” que a gente dá nos gadgets, porque temos a oportunidade de baixar novos aplicativos, abrir mão de entulhos… Bati o olho nesse post da Adri cheio de dicas para fazer a fotografia perfeita usando o smartphone e olha, quanta sugestão bacana! Ela usa iPhone mas muitos aplicativos estão disponíveis também pra Android (oba)!

acompanhe o maionese por aí:

 curta o blog no Facebook  siga no Instagram  acompanhe os tweets  snapchat: hackelz

Maionese no BEDA